Carros do Futuro







Um dos maiores esforços da indústria é o de criar veículos que jamais sofram acidentes. Algumas ferramentas com este objetivo já estão disponíveis em modelos de luxo, a exemplo dos sistemas que monitoram pontos cegos do carro, o estado físico geral do motorista, que realizam o controle eletrônico de estabilidade – que avisa sobre a saída do automóvel de sua trajetória -, advertência sobre colisão dianteira e faróis adaptáveis.
Vale lembrar que não existe ainda um carro que possua todas essas ferramentas trabalhando em conjunto.


 E, por meio da união desses sistemas, a Volvo espera zerar, até 2020, o número de acidentes com mortes e feridos para quem estiver dirigindo um de seus veículos. Mas falta aí um detalhe interessante: atualmente estão em desenvolvimento os sistemas de direção automatizada, que realizariam todo o processo inerente ao deslocamento do automóvel por meio da comunicação do veículo com os outros presentes na pista, sem a necessidade da intervenção do motorista.

BMW Vision ConnectedDrive (Foto: Reprodução)


Se por enquanto um sistema 100% automatizado ainda gera polêmica – por causa de fatores como responsabilidade por eventuais falhas –, uma ideia interessante para comunicação entre veículos vem sendo desenvolvida pela empresa americana GPSTrackit, o V2V (“vehicle-to-vehicle”, ou “veículo para veículo” em tradução livre).
Trata-se de um sistema que realizaria troca de dados entre carros por meio de uma rede Wi-Fi fechada, fazendo com que o “automóvel” alerte o motorista, por meio de sinais sonoros e LEDs instalados no painel, sobre qualquer tipo de comportamento diferenciado de outro veículo na pista. Esse sistema não tira a autonomia de ação do condutor. A intenção é fazer com que a tomada de decisão seja mais rápida para que os acidentes possam ser evitados.


Outro item que chama a atenção quando o assunto é segurança é a saúde do condutor. Com essa necessidade em pauta, a Universidade de Munique, em parceria com a BMW, está desenvolvendo um projeto que transforma o volante em uma ferramenta para aferir os possíveis problemas do motorista. O sistema realiza a leitura da frequência cardíaca, oxigenação do sangue e pressão sanguínea por meio de flashes de luz emitidos contra os dedos do motorista. As informações são exibidas no console do carro.

Comunicação entre veículos

Se durante o percurso algum tipo de anomalia for detectada, o sistema está apto a tomar decisões como bloquear ligações, diminuir o volume ou desligar o rádio, tomar controle parcial do automóvel e, em situações mais graves, parar completamente o veículo. Outro detalhe interessante: as informações obtidas pelo equipamento podem ser armazenadas ou enviadas diretamente para o médico responsável. Uma forma de cuidar da saúde em qualquer momento.

O Volante coleta dados sobre saúde do motorista

Um projeto desenvolvido pela GM em conjunto com uma universidade de Israel dá aos vidros traseiros do veículo uma infinidade de possibilidades para tornar as viagens mais interessantes.

Imagem 01

Os passageiros podem brincar com um desenho que interage com o ambiente e ver as imagens captadas por outras janelas ao redor do mundo. Por enquanto, essa é só uma ideia criada para testes, mas é uma excelente maneira de transformar qualquer trajeto em uma experiência única. Diversão e um pouco de cultura de forma garantida.

Carro voador PAL-V fabricado por uma empresa holandesa  (Foto: EFE)

0