7 de agosto de 2013

Marilyn Manson - A Origem da Banda






Em 1989, Brian Warner era um estudante da faculdade de Jornalismo, ganhando experiência no ramo escrevendo artigos de música para a revista de estilo de vida da Flórida, 25th Parallel a fim de conseguir o seu diploma. Foi nesse emprego que ele conheceu diversos músicos, muitos dos quais ao que seria comparado mais tarde, incluindo Trent Reznor, do Nine Inch Nails.



Ele conheceu Scott Putesky um pouco depois e, após mostrar a ele algumas das letras e poemas que tinha escrito, os dois pensaram em formar uma banda juntos. Brian, o guitarrista Putesky e o baixista Brian Tutunick gravaram sua primeira fita demo como Marilyn Manson & the Spooky Kids no final de 1989, dando a si mesmos os nomes de Marilyn Manson, Daisy Berkowitz e Olivia Newton Bundy, respectivamente. Pouco tempo depois eles se juntaram a Stephen Bier, que mais tarde seria chamado de Madonna Wayne Gacy; Bundy foi substituído por Gidget Gein, nascido como Brad Stewart. Em 1991, o baterista Fred Streithorst entrou para a banda com o nome Sara Lee Lucas.



Os nomes de palco usados por cada membro representava um conceito que era considerado central para a banda: a dicotomia do bem e do mal, e a existência de ambos, juntos, em todas as pessoas. "Marilyn Monroe tinha um lado obscuro", explicou Manson na sua autobiografia, "do mesmo modo que Charles Manson tinha um lado bom e inteligente"...


Os Spooky Kids' ganharam popularidade na área e suas performances eram feitas com visuais incomuns e chocantes. A banda costumava tomar elementos grotescos e teátricos, misturados com elementos de desenhos animados em seus shows. Eles continuaram a se apresentar e gravar fitas - encurtando o nome da banda para Marilyn Manson apenas, em 1992 - até o verão de 1993, quando ganharam a atenção de Trent Reznor - que na época abriu sua própria gravadora, a Nothing Records.


Facebook